Tosquias | Grooming

Tosquias

Vem aí o Verão e com ele o calor. Olhe para o seu cão, coitado com aquele casaco…. Ficaria muito mais fresco sem ele, certo? Errado!

Muito erradamente a maioria dos donos tende a procurar um tosquiador para refrescar o seu cão neste época do ano, mas de facto o que acontece é que é apenas uma ilusão. O dono pensa que seria como se estivesse de casaco em pleno tempo quente, mas nos cães não funciona bem assim. Ora vejamos alguns factos:

#1 Os cães não transpiram!
A pele dos cães tem efectivamente na sua composição glândulas sudoríparas,mas estas são apócrinas (ou seja, sem secreção) na pele com pêlos. Apenas na pele dura das almofadinhas plantares e do nariz ele suam. Por isso não acontece como em nós, que nos sentimos mais confortáveis se tirarmos roupa quando transpiramos.
Mantenha a zona interior das patas sem pêlos e ajudará a manter o seu cão mais fresco.

#2 A pele tosquiada tem menos resistência ao calor!
Tal como a imagem ilustra, quando tosquiamos o cão, a zona com menos pêlo tem tendência a ficar mais quente. Isto acontece porque o pêlo, quando escovado e livre de nós, tem um efeito de isolante térmico, pela camada de ar que fica entre a pele e o topo do pêlo. Quando tosquiado, na exposição ao sol ou apenas ao ar quente, o cão tem mais dificuldade em regular a sua temperatura.

#3 Algumas raças ficam com sequelas!
Existem muitos tipos de pelagens, alguns específicos de algumas raças. E normalmente são as que temos ‘’mais pena’’ que são exactamente as que não devemos tosquiar. Em qualquer cão, rapar com frequência pode trazer consequências para a textura da pelagem (ou mesmo em pessoas, se rapar o seu cabelo a vida inteira, não vai esperar conseguir fazer uma permanente de um dia para o outro, certo?), mas nas raças nórdicas, primitivas e do tipo spitz, é onde vemos maiores sequelas,, pois a sua textura particular e pele que não é preparada para os elementos exteriores podem sofrer de alopécia por algum tempo e fazer uma termorregulação ineficaz.

No final, a decisão de tosquiar ou não o seu cão é sua, mas tome uma decisão informada, e não dê o calor com desculpa. Procure um profissional formado que lhe possa explicar qual a manutenção mais correcta para o tipo de pêlo que o seu cão tem, seja de raça ou não!

Texto escrito por Iolanda Rodrigues da Urban Pets


Summer comes and with it the heat. Look at your dog, poor in that coat …. It would be much cooler without him, right? Wrong!

Very wrongly most owners tend to look for a shearer to refresh their dog at this time of year, but in fact what happens is that it’s just an illusion. The owner thinks that it would be as if he were in his jacket in the hot weather, but in dogs it does not work that well.

Now let’s look at some facts:

# 1 Dogs do not perspire!The dogs’ skin actually has sweat glands in their composition, but these are apocrine (no secretion) in the fur with hairs. Only on the hard skin of the pads and the nose does it sweat. That is why it does not happen like in us, that we feel more comfortable if we take off our clothes when we perspire. Keep the inner area of ​​the hairless feet and help keep your dog cooler.

# 2 The sheared skin has less resistance to heat! As the picture illustrates, when we herd the dog, the area with less hair tends to become warmer. This is because the hair, when brushed and free of knots, has a thermal insulating effect, by the layer of air that lies between the skin and the top of the hair. When shearing, in the sun exposure or just in the hot air, the dog has more difficulty in regulating its temperature.

# 3 Some breeds are left with sequels! There are many types of coats, some specific to some breeds. And they are usually the ones that have “the most pity” that are exactly the ones we should not shear. In any dog, shaving often can have consequences for the texture of the coat (or even in people, if you shave your hair your whole life, you will not expect to get a permanent overnight, right?), But in the Nordic, primitive and spitz-type breeds are where we see greater sequelae, because their particular texture and skin that is not prepared for the outer elements may suffer from alopecia for some time and render ineffective thermoregulation.

In the end, the decision to shear or not your dog is yours, but make an informed decision, and do not give the heat with an excuse. Look for a trained professional who can explain what is the most appropriate maintenance for the type of fur your dog has, whether it is a breed or not!

Text written by Iolanda Rodrigues of Urban Pets

Equilíbrio intestinal |Intestinal Balance

Passando a parte da publicidade, até porque não é patrocínio da Ruff Dog, vimos publicamente agradecer este salva vidas que desconhecíamos até à pouco tempo.

Pró-enteric triplex, é um composto com um probiótico, um prébiotico, caolina e pectina, que ajuda a recuperar o equilibrio intestinal.

Para quem, como nós, não gosta de dar medicação desnecessária mas que por outro lado tem cães que só não aspiram o que não conseguem, desencadeando diarreias por vezes mais complicadas, este composto (que ainda por cima é palatável) pode ser uma boa ajuda.

Obviamente que recomendamos uma ida ao médico veterinário para garantir que não há outros motivos para a diarreia, para adequar a posologia e para garantir em que a utilização deste composto é adequada ao caso!!!


Passing the advertising part, even because it is not a Ruff Dog sponsorship we publicly thank this life saving that we did not know until recently.

Pro-enteric triplex, is a compound with a probiotic, a prebiotic, kaolin and pectin, which helps to restore intestinal balance.

For those who, like us, do not like giving unnecessary medication but on the other hand have dogs that just do not eat what they can not, triggering sometimes more complicated diarrhea, this compound (which is even more palatable) can be a good help

We obviouslyrecommend a trip to the veterinarian to ensure there are no other reasons for diarrhea, to adjust the dosage and to ensure that the use of this compound is appropriate to the case !!!

Pulgas | Fleas

A Bear, irmã da Samoa Kai the Super Mutt, veio ajudar-nos a falar de um tema importante nesta altura do ano… afinal a prevenção tem que ser feita AGORA!!

Continuando a parceria com o HVS-Hospital Veterinário Sintra e Dr.ª Maria Horta E Costa, seguimos desenvolvendo o tema DOGS & BUGS. Começando por falar nas pulgas!

“É certamente um parasita com preferência para os meses mais quentes de verão, mas que tende a estar presente durante todo o ano em climas mais temperados, como é o caso de Portugal. É engraçado olhar para estes insectos, a maioria com menos de 5 milímetros de tamanho e perceber a facilidade com que assombram todo um lar na altura em que resolvem parasitar os nossos cães.

As pulgas são insectos hematófagos, ou seja, que se alimentam de sangue, e as fêmeas são capazes de por mais de dois mil ovos durante a sua vida, que se aproxima a, mais ou menos, um ano de duração. Ao contrário do que se possa pensar, uma infestação de pulgas no nosso amigo de 4 patas pode nada ter a ver com as condições de higiene que o rodeiam. Basta um passeio na rua onde tenha por lá passado um cão com pulgas, para que no nosso companheiro seja igualmente parasitado.

Mas quais os verdadeiros “perigos” das pulgas? Existe uma condição bem frequente chamada de Dermatite Alérgica à picada da pulga, conhecida na classe Médica Veterinária por DAPP. E porquê? Porque os nossos amigos de 4 patas podem desenvolver uma hipersensibilidade, ou alergia, aos componentes da saliva das pulgas. O sintoma mais frequente desta condição é o prurido, que se pode manifestar de diferentes e variadas formas, como o morder daquela zona onde há mais “comichão”, lamber-se, esfregar-se no chão, etc. Todo este excesso de comportamentos pode levar à queda de pelo, a pele torna-se ruborizada, podendo até dar lugar ao aparecimento de crostas. Nos casos mais crónicos, muitas vezes devido ao não tratamento desta alergia, poderá a DAPP evoluir para condições que inspirem maiores cuidados, surgindo focos de infecções bacterianas.
Assim, é fundamental a prevenção com produtos adequados aos nossos companheiros. Portanto, nada melhor do que falar com o Médico Veterinário que acompanha o seu cão para tentar impedir que algum dia se cause todo este sofrimento aos nossos cães, evitando assim alterações comportamentais, o stress causado por todo este mal estar…”


Bear, Samoa Kai the Super Mutt sister, came to help us talk about an important topic at this time of year … after all, prevention has to be done NOW !!

Following the partnership with HVS-Sintra Veterinary Hospital and Dr. Maria Horta E Costa, we continue the DOGS & BUGS theme, starting by talking about fleas!

“It is certainly a parasite with preference for the warmer summer months, but it tends to be present throughout the year in more temperate climates, as is the case of Portugal. It is funny to look at these insects, most with less than 5 millimeters and realize that they easily haunt an entire home when parasite our dogs.

Fleas are hematophagous insects – they feed on blood – and females are capable of for more than two thousand eggs during their life, which approaches about a year in duration. Contrary to what one might think, a flea infestation on our 4-legged friend may have nothing to do with the hygiene conditions that surround it. Just a walk in the street where a dog with fleas pass by and your companion is equally parasitized.

But what are the real “dangers” of fleas?

There is a very common condition called Allergic Dermatitis to Flea Bite, known in the Veterinary Medical Class by DAPP. why? Because our 4-legged friends may develop a hypersensitivity, or allergy, to the components of flea saliva. The most frequent symptom of this condition is pruritus, which can manifest in different and varied forms, such as biting of the area where there is more itching, licking, rubbing on the floor, etc. All this excess of behaviors can lead to the fall of hair, the skin becomes flushed, and may even lead to the appearance of crusts. In the more chronic cases, often due to the non-treatment of this allergy, the DAPP may evolve to conditions that inspire greater care, appearing foci of bacterial infections.

Thus, prevention with products suitable to our partners is fundamental. Therefore, nothing better than talking to the veterinarian accompanying your dog to try to prevent one day from causing all this suffering to our dogs, thus avoiding behavioral changes, the stress caused …”

Fotografia | Photography: Whom Creative Studio

Kit primeiros socorros | First Aid Kit

Termos alguns conhecimentos básicos sobre primeiros socorros pode salvar a vida de um cão.
No livro ABCão da editora Marcador encontramos uma lista com aquilo que devemos incluir no kit de primeiros socorros para termos em casa, assim como as suas funções.


Some basic knowledge about first aid can save a dog’s life. In Marcador’s book ABCão, we find a list of what we should include in a home first-aid kit, as well as each one’s purpose.

Heimlich Maneuver

Termos alguns conhecimentos básicos sobre primeiros socorros pode salvar a vida de um cão.
Em caso de engasgamento seguem os passos que deve fazer! 

_________________________________________________________________________

Some basic knowledge about first aid can save a dog’s life.
In case of choking follow the steps you should do! 

Desparasitação externa | External worming

Com a chegada do calor (e tão bem-vindo que é), chegam também em força aqueles bicharocos que por vezes notamos a vaguear na linda pele dos nossos companheiros de 4 patas.
É bem verdade que a nossa preocupação acerca destes parasitas externos não deve acontecer apenas na primavera e no verão, mas é sem dúvida nesta altura que tanto as pulgas, como as carraças e também os “mosquitos” (mais correctamente denominados “flebotomos”) estão mais activos. Assim queremos relembrar a importância de uma boa prevenção contra estes parasitas externos, que permitirá evitar o aparecimento de doenças complicadas e que podem pôr em risco a vida dos nossos amigos, como é o caso da já tão conhecida doença “Leishmaniose” ou mesmo uma “Febre da Carraça”. Mais tarde iremos abordar estas doenças com mais pormenor mas, para já, relembrar que a opinião do seu Médico Veterinário é fundamental nestes casos, pois ele melhor do que ninguém saberá recomendar a estratégia que se adequa ao seu animal de estimação, tendo em conta todos os factores que podem influenciar nesta tomada de decisão, desde a idade, o local onde vive, o número de animais com que coabita, etc.
———————————————————————————————————————————————————————–
With the arrival of the heat (and so welcome it is), also come in force those bugs that we sometimes notice wandering in the beautiful skin of our 4 leg companions. It is quite true that our concern about these external parasites should not only happen in the spring and summer, but it is undoubtedly at this point that both fleas, ticks and also “mosquitoes” (better known as “phlebotomos”) are more active. So we want to remember the importance of a good prevention against these external parasites, which will avoid the appearance of complicated diseases and that can endanger the lives of our friends, as is the case of the already known disease “Leishmaniasis” or even a ” Tick fever “. Later we will address these diseases in more detail, but for now, remember that the opinion of your veterinarian is essential in these cases, because he, better then anyone, will recommend the strategy that best suits your pet, taking into account all factors that may influence the decision making, from the age, the place where it lives, the number of animals that he cohabits with, etc.
———————————————————————————————————————————————————————–

Texto escrito por | written by:  Dr.ª Maria Horta e Costa, médica veterinária do Hospital Veterinário de Sintra

fotografia | photographer: Basti ⎜ pet photography
modelo | model: Nero Ruff Dog