Deixe o seu cão correr | Let your dog run

Mensagem do mês de Janeiro é deixar o cão correr.
É importante um cão ter liberdade e espaço para correr à vontade e sem trela, é no entanto MUITO IMPORTANTE que o faça num sitio seguro e em que não incomode outras pessoas ou cães.
Regra de ouro: se vir outro cão ou pessoa, prenda imediatamente o seu, lembre-se que os cães não são todos amigos e que nem toda a gente gosta de cães.
—————-
Message from the month of January is to let your dog run.
It is important for a dog to have freedom and space to run at will and without a leash, but it is VERY IMPORTANT that he does it in a safe place and that does not disturb other people or dogs.
Important rule: If you see another dog or person, immediately put a leash on your dog, remember that dogs are not all friends and that not everyone is a dog lover.

Como abordar um cão numa esplanada | how to aproch a dog on a restaurant

Continuando a defender a minha teoria que os cães não são maçanetas disponíveis para toda a alma passar a mão, sendo dona de um cão que gosta de arrancar dedos a essas almas que se sentem no direito de mexer em todos os cães que vêem na rua e ficam inclusivamente espantadas quando eu digo que não (apesar do TAG no peitoral do meu cão a dizer “não tocar” e “dont touch” não vá a pessoa ser estrangeira e não entender português…!) resolvi perguntar a uma treinadora se o problema era eu e o meu mau feitio ou se há aqui qualquer coisa errada, até porque agora os cães podem ir para esplanadas e restaurantes.

Ora aqui vai a resposta de Andreia Lauro, da Dog Instinct – Treino e Comportamento

“Como abordar um cão numa esplanada?

A pergunta é simples e vou responder de forma simples.

Não aborde. Simplesmente, ignore o cão e continue o seu caminho.

Se tem dúvidas, ponho a questão de outra forma:

Tem por hábito ir ter com pessoas desconhecidas que estão na esplanada e falar com elas?

Se a resposta for não, faça o mesmo com os cães. 

Se não conhece o cão ou o tutor, deixe-os estar tranquilos na esplanada sem que tenham de ser abordados por desconhecidos.

No caso extremo de ter alguma curiosidade ou uma vontade imensa de interagir com o animal, PERGUNTE sempre ao tutor se pode.

E esteja preparado para ouvir um “NÃO PODE”.

Há animais que estão muito confortáveis em público, mas isso não quer dizer que estão disponíveis para serem abordados, a maior parte das vezes de maneira inadequada, por desconhecidos.

Gosta de cães, adora vê-los a participar no dia-a-dia dos tutores?

Então faça-lhes um grande favor: Olhe, sorria se assim tiver vontade, mas IGNORE OS CÃES QUE VÊ NA RUA.”

Obrigada Andreia por teres um bom feitio como o meu 


Continuing to uphold my theory that dogs are not door knobs available for the whole world touch, being the owner of a dog that likes to pluck fingers of those who feel in the right to pet all the dogs they see on the street and become amazed when I say no (although the TAG on my dog’s chest saying “não tocar” and “dont touch”) I decided to ask a trainer if the the problem is me and my bad temper or if there is anything wrong here, even because now the dogs can go to terraces and restaurants.

Here’s the answer from Andreia Lauro, of Dog Instinct – Training and Behavior

“How to approach a dog on a terrace?

The question is simple and I will answer in a simple way.

Do not approach. Simply ignore the dog and continue on your way.

If you have questions, I put the question in another way:

Are you in the habit of going to unfamiliar people on the terrace tou touch them and talking to them?

If the answer is no, do the same with the dogs.

If you do not know the dog or the tutor, let them be quiet on the terrace without having to be approached by strangers.

In the extreme case of having some curiosity or an immense willingness to interact with the animal, always ASK the tutor if you can.

And be prepared to listen to a “CAN NOT”.

There are animals that are very comfortable in public, but that does not mean that they are available to be approached, most often inadequately, by strangers.

Do you like dogs, love to see them participate in the day to day of tutors?

Then do them a great favor: Look, smile if you feel like it, but IGNORE THE DOGS THAT SEE IN THE STREET. “

Thank you Andreia for having a such a good temper like i do ❤️

——————————————————-

Andreia Lauro
Dog Instinct
TM: 918863455

Modelo | Model  Sweetie the Tiny Super Mutt

Giveaway de Natal | Xmas Giveaway

Como gostamos de cães felizes, resolvemos dar uma ajuda aos donos. Vamos oferecer dois snuffle map (um no facebook e outro no instagram), acompanhados de super treats de borrego da Natures:menu.

É o kit perfeito para entreter e cansar o seu cão num dia feio, frio e chuvoso de Inverno – veja o post sobre os snuffle maps para descobrir tudo.

Para se habilitar a ganhar, terá que participar da seguinte forma:
1. Colocar “gosto” na página de Facebook da Ruff Dog
2. Colocar “gosto” na página de Facebook da New Global Pet
3. Colocar “gosto” nesta publicação;
4. Identificar três doglovers através de comentário(s) desta publicação;

Todos estes passos são obrigatórios para que a participação seja válida, mas pode participar as vezes que quiser!
A participação termina a 23 de Dezembro de 2018 às 23h59. Os vencedores serão anunciados no dia 24 de Dezembro de 2018 às 16h30.

A rena Kikoia deseja a todos boa sorte e Feliz Natal !!

Mornings

Bom dia! Quem acordou com uma certa e determinada “pressão” para levantar?


Good Morning! Who woke up with a certain certain “pressure” to get out of bed ?

Disfunção cognitiva canina | CCD


Quase todos os cães, à medida que envelhecem, têm algum grau de CCD, uma demência semelhante ao Alzheimer em humanos.
As causas do CCD ainda não são conhecidas, mas estudos indicam que cerca de 30% dos cães com 11 anos apresentam um ou mais sinais de comprometimento cognitivo, valor que aumenta para 68% em cães com mais de 15 anos.

Memorize a sigla: DISHA
D – Disorientation
I – Interactions
S – Sleep – wake cycle changes
H – House soiling
A – Activity

Desorientação – há vários sinais nem sempre fáceis de identificar… Mas se recorrentemente reparar que o seu cão coloca o focinho do lado errado da porta, ou ao ir para casa parar no portão do vizinho ou deitar-se num sitio estranho ou diferente do habitual…Fique atento.

Interações – se ao longo da vida o seu cão ladrou sempre que alguém chega a casa e de repente, sem treino, isso começa a não acontecer, se o deixou de vir receber à porta, se deixa de reagir a estímulos que sempre o animaram como ir buscar a trela para ir à rua ou abrir a caixa dos biscoitos ou até se muda a forma como interage com pessoas (ex. Cão amigável mostrar sinais de agressividade) podem ser sinais de CCD. Mas também podem ser apenas sinais de dor ou desconforto! Leve sempre ao médico veterinário.

Mudanças no ciclo vigília-sono – este ponto é mais fácil de identificar, por exemplo: o cão passeia de um lado para o outro da casa durante a noite e depois passa a manhã a dormir.

Casa Suja – se sempre teve um cão limpo que fazia as suas necessidades na rua e de repente começar a urinar ou defecar dentro de casa (isto pode acontecer por perda de memória, por problema de controlo de esfincteres ou até por infecção urinária. Mais uma vez, consulte o seu médico veterinário.

Actividade – O cão tem menos interesse em explorar o ambiente ou a responder a um estímulo ou apresentar movimentos repetitivos, abanar a cabeça, andar em círculos. Estes sinais podem ser sinais de CCD mas podem também estar relacionados com problemas de visão ou audição ou um problema neurológico mais grave, pelo que também neste caso deverá consultar o médico veterinário.

O que fazer ?
Adapte a casa, facilite as rotinas, mime o seu cão. Infelizmente a vida deles é sempre mais curta do que devia.
Pode também fornecer uma alimentação rica em ácidos gordos como o ómega-3 para ajudar a retardar o envelhecimento celular.


Almost all dogs, as they get older, have some degree of CCD, a dementia similar to Alzheimer’s in humans. The causes of CCD are not yet known, but studies indicate that about 30% of 11-year-old dogs have one or more signs of cognitive impairment, increasing to 68% in dogs older than 15 years.

Memorize this: DISHA
D – Disorientation
I – Interactions
S – Sleep – wake cycle changes
H – House soiling
A – Activity

Disorientation – there are several signs that are not always easy to identify … But if you regularly notice that your dog puts his muzzle on the wrong side of the door, or when he goes home he stops at the neighbor’s gate or lies in a strange or different place from the habitual … Stay tuned.

Interactions – if throughout your life your dog barks whenever someone comes home and suddenly, without training, this does not happen, if you stop coming to receive at the door, you stop reacting to stimuli that have always encouraged you as go get the leash to go to the street or open the box of cookies or even change the way you interact with people (eg dog friendly show signs of aggression) can be signs of CCD. But they can also just be signs of pain or discomfort! Always take the veterinarian.

Changes in the wake-sleep cycle – this point is easier to identify, for example: the dog wanders from side to side of the house at night and then passes the morning to sleep.

Dirty House – if you always had a clean dog that did your needs on the street and suddenly started to urinate or defecate in the house (this could happen due to memory loss, problem of control of sphincters or even urinary tract infection. consult your veterinarian.

Activity – The dog has less interest in exploring the environment or responding to a stimulus or having repetitive movements, shaking his head, walking in circles. These signs may be signs of CCD but may also be related to vision or hearing problems or a more serious neurological problem, so in this case you should also consult your veterinarian.

What to do ?

Adapt the house, facilitate the routines, pamper your dog. Unfortunately their lives are always shorter than they should.

It can also provide a diet rich in fatty acids like omega-3 to help slow cellular aging


Modelo | Model: Pipa (já é uma estrelinha)

Trabalhar para obter comida | Work for food

Recebi várias mensagens a perguntar porque é que não se deve dar a comida na taça.
Pode dar-se a comida na taça! Não tem nenhum problema! Estas formas alternativas são apenas mais estimulantes para o cão e estratégias para o cansar no dia-a-dia.

O olfacto é um dos sentidos mais desenvolvidos do cão e por isso jogos e brincadeiras que utilizem e estimulem este sentido são sempre interessantes. 

Há várias formas de o fazer até mesmo em casa sem recorrer a “novos brinquedos” pode jogar às escondidas com ele, pode esconder comida pela casa ou numa divisão para ele descobrir (e comer!) e pode até esconder o brinquedo preferido dele!

Utilizando o slogan de um grande amigo e treinador:
“Life is Fun, Play with your dog!”


I received several messages asking why you should not give the food in the cup.You can give yourself food in the bowl! There is no problem! These alternative forms are just more stimulating for the dog and strategies to tire you in the day to day.

Olfaction is one of the most developed senses of the dog and therefore games and games that use and stimulate this sense are always interesting.

There are several ways to do it even at home without resorting to “new toys” you can play hide and seek with him, you can hide food around the house or in a room for him to discover (and eat!) And may even hide his favorite toy!

Using the slogan of a great friend and coach:

“Life is Fun, Play with your dog!”

Trabalhar para obter comida | Work for food

Trabalhar para obter comida é sempre mais interessante do que quando esta aparece “por magia” na taça.
Além de que utilizar o nariz e o cérebro deixa sempre um cão cansado, pelo que é até uma boa sugestão para dar a refeição da manhã antes de ir para o trabalho. 

Para este jogo é necessário uma bola HOLL-EE, a que está na fotografia é da marca JW e muito fácil de encontrar online, umas bolas de ração ou recompensas mais “valiosas” (depende do quanto o cão valoriza a comida uma vez que este jogo só terá interesse para ele se o cheiro o estimular) e uma toalha ou manta (velha!). Como fazer? Muito simples!
1. Corte a toalha em bocados com formas e tamanhos irregulares.
2. Embrulhe as bolas de ração ou recompensas nos bocados de toalha, embrulhe também de diferentes formas, nuns bocados faça rolos, noutros dobre.
3. Vá pondo os bocados dentro da bola até ela estar cheia.

Este jogo deve ser feito com supervisão para o cão não comer os bocados de tecido. E se der a mais do que um cão ao mesmo tempo (eu dei ao Peter Pan e à Poppy) garanta que os cães respeitam o espaço um do outro e aceitam a respectiva presença mesmo quando existem de recursos tão valiosos como a comida, brinquedo e dono de uma só vez!

O olfacto é um dos sentidos mais desenvolvidos do cão e por isso jogos e brincadeiras que utilizem e estimulem este sentido são sempre interessantes. 


Working for food is always more interesting than when it appears “by magic” in the bowl.

In addition to that use the nose and brain always leaves a dog tired, so it’s up to a good suggestion to give the morning meal before going to work.

For this game you need a HOLL-EE ball, the one in the picture is JW brand and very easy to find online, ration balls or more “valuable” rewards (depends on how much the dog values ​​the food once this game will only interest him if the smell stimulates him) and a towel or blanket (old!). How to make? Very simple!

1. Cut the towel into pieces with irregular shapes and sizes.

2. Wrap the ration balls or rewards in the towel pieces, also wrap in different ways, in some bites make rolls, in others fold.

3. Put the bites into the ball until it is full.

This game should be done with supervision so the dog does not eat the bits of tissue. And if you give more than one dog at a time (I gave Peter Pan and Poppy) make sure dogs respect each other’s space and accept their presence even when there are such valuable resources as food, toy, and owner at one go!

Olfaction is one of the most developed senses of the dog and therefore games and games that use and stimulate this sense are always interesting.

Ico & Poppy

A Poppy tem 6 meses, o Ico 3 semanas. Conhecem-se há 15 dias.
Vivem juntos e estão na mesma divisão desde que se conheceram, afinal são da mesma família.
SEMPRE com supervisão, nunca sozinhos.
Hoje foi a primeira vez que o Ico interagiu com a poppy: O Ico estava ao meu colo irrequieto com cólicas, a poppy veio deitar-se ao lado. O Ico tocou-lhe, ela adormeceu, ele acalmou.
Nunca forcei. Aconteceu ao fim de 15 dias. E é só isto que eu quero 
💙💗
Calma, respeito e espaço.


Poppy has 6 months, Ico 3 weeks. They’ve known each other for 15 days.

They live together and are in the same division since they met, after all they are from the same family.

ALWAYS with supervision, never alone.

Today was the first time that Ico interacted with the poppy: Ico was on my lap restless with cramps, Poppy came and lie down next to him. Ico touched her, she fell asleep, he calmed down.

I never pushed it. It happened after 15 days. And that’s all I want.

Calm, respect and space.

Trelas | Leash

Voltando às trelas…
NÃO interessa se o seu “cão é amigo” ou se o seu cão “só quer brincar”, se o seu cão é mais pequeno ou se é amarelo. Do outro lado pode estar um cão reactivo, ou um cão assustado ou um cão que não quer mais amigos, não quer brincar ou ATÉ estar um cão com um dono que não o consegue controlar.
Pode ainda estar um cão em treino ou um cão em trabalho.

Tenha respeito pelo outro cão e pelo outro dono.
Se andar com o cão solto, prenda-o quando vir outro cão à trela. 
Se andar com o cão à trela não o deixe aproximar-se antes de confirmar com o dono que o pode fazer, mas by the way, não é a maneira ideal de apresentar dois cães.


Back to the leashes …

It DOES NOT matter if your “dog is friend” or if your dog “just wants to play” if your dog is smaller or if it is yellow. On the other side may be a reactive dog, or a scared dog or a dog that does not want more friends, does not want to play or TO BE a dog with an owner who can not control it.

There may still be a training dog or a working dog.

Have respect for the other dog and the other owner. If walking with the dog off leash, put it when you see another dog. If you’re walking with your dog on the leash dont let him approach other dogs before confirming with the owner that you can do it, but by the way, it’s not the ideal way to introduce two dogs.


Modelo | Model : Marina #marinarules
Fotografia | Photography : Marta PS – toomuttslove 

Trelas | Leash

Como dona de um cão reactivo, posso dizer que fazer um passeio num local público pode ser um verdadeiro inferno.

Isto acontece porque existe a ideia generalizada de que:
1 – os cães são verdadeiras “maçanetas” em que qualquer pessoa se sente no direito de tocar, mexer e chamar sem sequer pedir autorização ao humano que o acompanha.
2 – os cães são todos amigos.

Ora não podia ser mais mentira… 
Primeiro ponto, gostava de ir a passear na rua e de repente, um completo estranho o agarrar? dar festas? pois a maioria dos cães também não gosta… NO MÍNIMO, pergunte ao dono se pode.
Segundo ponto, os cães não são todos amigos, nem todos querem brincar, nem todos gostam que outros cães se aproximem e dificilmente a melhor maneira de apresentar dois cães é na ponta de uma trela. 
Claro que há excepções, mas não passam disso mesmo, excepções. 

Existe um código de cores para as trelas. Algo que seria uma boa ajuda se mais pessoas conhecesse o código. Esse código pode ser toda a trela (como na imagem em anexo) mas, por exemplo, um laço de uma determinada cor na trela serve o mesmo propósito.

Resumindo: RESPEITE O ESPAÇO DE CADA CÃO. Fale com o dono antes de se aproximar.
Se vir uma trela com uma mensagem ou um laço encarnado, laranja ou azul, nem se dê ao trabalho… Facilite a vida a quem o passeia – que muitas vezes é uma tarefa difícil – e afaste-se.


As the owner of a reactive dog, I can say that taking a walk in a public place can be a real hell.

This is because there is the general idea that:

1 – dogs are true “doorknobs” in which anyone feels entitled to touch, move and call without even asking permission from the human who accompanies him.

2 – Dogs are all friends.

Now it couldn’t be a bigger a lie…

First point, I liked to go for a walk in the street and suddenly, a complete stranger to grab? Pet you? Well… most dogs do not like it either… AT LEAST, ask the owner if you can touch the dog.

Secondly, dogs are not all friends, not everyone wants to play, not everyone likes that other dogs approach and hardly the best way to present two dogs is at the end of a leash.

Of course there are exceptions, but they are not exceptions.

There is a color code for the leashes. Something that would be a good help if more people knew the code. This code can be the entire leash (as in the attached image) but, for example, a loop of a certain color on the leash serves the same purpose.

In short: RESPECT THE SPACE OF EACH DOG. Talk to the owner before approaching.If you see a leash with a message or an incarnate, orange or blue tie, do not even bother … Make it easy for the stroller – which is often a difficult task – and step back.