Como abordar um cão numa esplanada | how to aproch a dog on a restaurant

Continuando a defender a minha teoria que os cães não são maçanetas disponíveis para toda a alma passar a mão, sendo dona de um cão que gosta de arrancar dedos a essas almas que se sentem no direito de mexer em todos os cães que vêem na rua e ficam inclusivamente espantadas quando eu digo que não (apesar do TAG no peitoral do meu cão a dizer “não tocar” e “dont touch” não vá a pessoa ser estrangeira e não entender português…!) resolvi perguntar a uma treinadora se o problema era eu e o meu mau feitio ou se há aqui qualquer coisa errada, até porque agora os cães podem ir para esplanadas e restaurantes.

Ora aqui vai a resposta de Andreia Lauro, da Dog Instinct – Treino e Comportamento

“Como abordar um cão numa esplanada?

A pergunta é simples e vou responder de forma simples.

Não aborde. Simplesmente, ignore o cão e continue o seu caminho.

Se tem dúvidas, ponho a questão de outra forma:

Tem por hábito ir ter com pessoas desconhecidas que estão na esplanada e falar com elas?

Se a resposta for não, faça o mesmo com os cães. 

Se não conhece o cão ou o tutor, deixe-os estar tranquilos na esplanada sem que tenham de ser abordados por desconhecidos.

No caso extremo de ter alguma curiosidade ou uma vontade imensa de interagir com o animal, PERGUNTE sempre ao tutor se pode.

E esteja preparado para ouvir um “NÃO PODE”.

Há animais que estão muito confortáveis em público, mas isso não quer dizer que estão disponíveis para serem abordados, a maior parte das vezes de maneira inadequada, por desconhecidos.

Gosta de cães, adora vê-los a participar no dia-a-dia dos tutores?

Então faça-lhes um grande favor: Olhe, sorria se assim tiver vontade, mas IGNORE OS CÃES QUE VÊ NA RUA.”

Obrigada Andreia por teres um bom feitio como o meu 


Continuing to uphold my theory that dogs are not door knobs available for the whole world touch, being the owner of a dog that likes to pluck fingers of those who feel in the right to pet all the dogs they see on the street and become amazed when I say no (although the TAG on my dog’s chest saying “não tocar” and “dont touch”) I decided to ask a trainer if the the problem is me and my bad temper or if there is anything wrong here, even because now the dogs can go to terraces and restaurants.

Here’s the answer from Andreia Lauro, of Dog Instinct – Training and Behavior

“How to approach a dog on a terrace?

The question is simple and I will answer in a simple way.

Do not approach. Simply ignore the dog and continue on your way.

If you have questions, I put the question in another way:

Are you in the habit of going to unfamiliar people on the terrace tou touch them and talking to them?

If the answer is no, do the same with the dogs.

If you do not know the dog or the tutor, let them be quiet on the terrace without having to be approached by strangers.

In the extreme case of having some curiosity or an immense willingness to interact with the animal, always ASK the tutor if you can.

And be prepared to listen to a “CAN NOT”.

There are animals that are very comfortable in public, but that does not mean that they are available to be approached, most often inadequately, by strangers.

Do you like dogs, love to see them participate in the day to day of tutors?

Then do them a great favor: Look, smile if you feel like it, but IGNORE THE DOGS THAT SEE IN THE STREET. “

Thank you Andreia for having a such a good temper like i do ❤️

——————————————————-

Andreia Lauro
Dog Instinct
TM: 918863455

Modelo | Model  Sweetie the Tiny Super Mutt

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *